Mapa do Site

Paralisia braquial obstétrica / Displasia do ombro

Contra algumas visões niilistas sobre o future das crianças com PBO, nesta secção explicaremos como são eficazes a prevenção e o tratamento neste problema do recém nascido. Evitar ou saber tratar os problemas do ombro decorrentes da PBO, é fundamental e, por isso, o expomos como tal.

Alguns pontos importantes da PBO e da Displasia do ombro são:

Paralisia Braquial Obstétrica

  • A PBO ocorre durante o parto por um estiramento dos nervos do plexo braquial.
  • O paciente com PBO deverá ser encaminhado ao cirurgião desde o ínicio, sendo este que coordenará a estratégia de tratamento.
  • Devemos iniciar precocemente os movimentos passivos das articulações. Sobretudo a rotação externa do ombro.
  • Nas avulsões recomenda-se operar precocemente (3 meses de idade). Nas rupturas, se não houver recuperação da flexão do cotovelo contra a gravidade, aos 5 meses.
  • A electromiografia NÃO é útil na PBO. Em alguns casos pode estar indicada a RMN.


Displasia Gleno-Umeral

  • As sequelas do ombro são as que causam problemas funcionais nas crianças com paralisia braquial obstétrica.
  • A fisioterapia precoce nos bebés com PBO, com exercícios de rotação externa passiva do ombro, previne os problemas do ombro. Devem ser executados desde o inicio, pelos pais.
  • Podemos suspeitar de displasia gleno-umeral se não for possível fazer rotação externa passiva do ombro da criança.
  • A prova diagnóstica de eleição é a ressonância magnética.
  • O tratamento não cirúrgico descrito pelo Dr Soldado oferece melhores resultados que a cirurgia pois recupera a rotação externa e protege da perda de rotação interna do individuo.
A paralisia braquial obstétrica - Displasia do ombro
Causas, mecanismos e lesões na PBO
Risco de PBO. Provas necessárias
Tratamento da PBO (Cirurgia, Fisioterapia)
Problemas de ombro de uma criança com PBO
Prevenção e Risco de CRIO e DGU
Diagnóstico e tratamento da Displasia do Ombro
Que profissional necessita o meu bebé?
Experiencia do Dr. Soldado
Malformações
Polgar curto ou ausente: hipoplasia do polegar
Pulso desviado: Mão bota radial e cubital
Dedos curtos: Braquidactilia, Simbraquidactilia, Síndrome da Brida Amniótica.
Menos dedos: Mão dividida e mão bota cubital
Dedos ou polegar extra: Polidactilia
Dedos unidos ou Sindactilia
Paralisia cerebral - Hemiparesia espástica
Definição, generalidades e avaliação de paralisia cerebral
Problemas no membro superior de crianças com hemiparesia espática
Tratamento não cirúrgico da hemiparesia espástica
O membro superior na paralisia cerebral com tetraparesia espástica
Tratamento cirúrgico da hemiparesia espástica
Microcirurgia
Microcirurgía vascular pediátrica: generalidades
Reconstrução de perdas ósseas I: Transferência de perónio vascularizado
Reconstrução de perdas ósseas II: Transferência de periósteo de perónio vascularizado
Não-união ou pseudo-artrose recalcitrante de osso
Revascularização de osso (osteonecrose, necrose asséptica)
Reconstrução de articulações. Transferência de epífises e cartilagem de crescimento vascularizada do perónio
Reimplantes e revascularizações
Transferência de músculo funcional (vascularizado e inervado)
Cobertura de perdas de pele
Fracturas - Feridas
Generalidades das fracturas
Fracturas típicas do osso na criança
Tratamento das fracturas na criança: generalidades
Classificação e tratamento das fracturas na placa de crescimento
Fracturas da cintura escapular, ombro e braço da criança
Fracturas do cotovelo da criança
Fracturas do antebraço e punho da criança
Fracturas da mão da criança
Feridas do membro superior da criança
Francisco Soldado
Vídeos Doutor Francisco Soldado
CV
Publicações
Apoio à Pesquisa
Casos conhecidos como o seu
Cooperación internacional: Misiones quirúrgicas
© 2001-2019 Francisco Soldado.Política de PrivacidadeAviso LegalPolítica da Qualidade Website by