Mapa do Site

Reconstrução de articulações. Transferência de epífises e cartilagem de crescimento vascularizada do perónio

Uma das situações mais complicadas é a reconstrução de articulações grandes (anca, ombro, etc.) em lesões das mesmas, em idades muito precoces. Mas frequentemente deve-se a tumores das epífises (Fig. 11A).



Nestas idades não é recomendável utilizar próteses, pois requereriam muitas cirurgias ao longo da vida. Os alo-enxertos de banco de tecidos, também não constituem uma opção porque não têm capacidade de crescimento e desenvolver-se-ia uma artrose rapidamente.


A transferência da epífise do perónio vascularizada, ainda que seja um procedimento muito complexo, permite reconstruir a articulação. Com o tempo, a capacidade de remodelação da cabeça e de crescimento em comprimento derivado da presença da fise, permite obter uma articulação anatómica e duradoura (Fig. 11B-C ).
 

CMI

Figura 11A. Criança de 4 anos com tumor maligno na epífise proximal do fémur. Deve ser extirpado. Para a reconstrução, a transferência da epífises proximal do perónio permitirá reconstruir a articulação e seguir crescendo a partir da fise ou cartilagem de crescimento.

 

CMI

Figura 11B. Após extirpar a parte proximal do fémur realizamos uma reconstrução que inclui um alo-enxerto de fémur que suportará o enxerto vascularizado proximal de perónio.

 

CMI

Figura 11C. Aos 20 meses, o enxerto de perónio vascularizado aumentou enormemente e foi transformando-se num fémur. Este processo de remodelação ainda vai continuar.
 

A paralisia braquial obstétrica - Displasia do ombro
Causas, mecanismos e lesões na PBO
Risco de PBO. Provas necessárias
Tratamento da PBO (Cirurgia, Fisioterapia)
Problemas de ombro de uma criança com PBO
Prevenção e Risco de CRIO e DGU
Diagnóstico e tratamento da Displasia do Ombro
Que profissional necessita o meu bebé?
Experiencia do Dr. Soldado
Malformações
Polgar curto ou ausente: hipoplasia do polegar
Pulso desviado: Mão bota radial e cubital
Dedos curtos: Braquidactilia, Simbraquidactilia, Síndrome da Brida Amniótica.
Menos dedos: Mão dividida e mão bota cubital
Dedos ou polegar extra: Polidactilia
Dedos unidos ou Sindactilia
Paralisia cerebral - Hemiparesia espástica
Definição, generalidades e avaliação de paralisia cerebral
Problemas no membro superior de crianças com hemiparesia espática
Tratamento não cirúrgico da hemiparesia espástica
O membro superior na paralisia cerebral com tetraparesia espástica
Tratamento cirúrgico da hemiparesia espástica
Microcirurgia
Microcirurgía vascular pediátrica: generalidades
Reconstrução de perdas ósseas I: Transferência de perónio vascularizado
Reconstrução de perdas ósseas II: Transferência de periósteo de perónio vascularizado
Não-união ou pseudo-artrose recalcitrante de osso
Revascularização de osso (osteonecrose, necrose asséptica)
Reconstrução de articulações. Transferência de epífises e cartilagem de crescimento vascularizada do perónio
Reimplantes e revascularizações
Transferência de músculo funcional (vascularizado e inervado)
Cobertura de perdas de pele
Fracturas - Feridas
Generalidades das fracturas
Fracturas típicas do osso na criança
Tratamento das fracturas na criança: generalidades
Classificação e tratamento das fracturas na placa de crescimento
Fracturas da cintura escapular, ombro e braço da criança
Fracturas do cotovelo da criança
Fracturas do antebraço e punho da criança
Fracturas da mão da criança
Feridas do membro superior da criança
Francisco Soldado
Vídeos Doutor Francisco Soldado
CV
Publicações
Apoio à Pesquisa
Casos conhecidos como o seu
Cooperación internacional: Misiones quirúrgicas
© 2001-2019 Francisco Soldado.Política de PrivacidadeAviso LegalPolítica da Qualidade Website by